quarta-feira, 15 de novembro de 2017

SC Metal Fest: Nasce Um Novo Monstro dos Fests (Parte II)

No domingo (19) se apresentarão oito bandas na Fazenda Cambará, a Curto Circuito, a Ódio Mensal, Balboa’s Punch, 355, Embrio, Fire Strike, Slasher e a recém confirmada Captain Cornelius.




A primeira banda a se exibir é a lageana Curto Circuito que trará um Hard Rock/Rock n Roll mesclando clássicos do estilo e músicas autorais como “Cerveja ou Gasolina” já reconhecida pelo público da região.



Inspiradas por Cólera, L7, Replicantes e Bulimia, a Ódio Mensal de Joinville irá expor o preciosíssimo Punk Rock. No ano de 2017 a banda lançou a demo “Contra o Sistema” o qual contou com três músicas, a homônima “Contra o Sistema”, “Leis Sujas” e “Prisioneiros da Fé” música esta que possui um videoclipe.



A banda riosulense de Thrash Metal Balboa’s Punch fincará suas raízes no SC Metal Fest. Os músicos enfatizam em suas letras questões político-sociais pelo caráter falho do ser humano, além de temáticas referenciadas ao folclore. O grupo possui duas músicas para audição no Soundcloud, trata-se de “Open Season” e “Portrait Of War”.



A psicodelia experimental estará presente no festival com a 355 se apresentando. O quarteto lageano mescla o Jazz, o Blues e o tradicionalíssimo Rock n Roll com influências de bandas como Cascavalletes, Mutantes, TNT, Raul Seixas, Di Melo entre outros artistas. Referências à parte, os músicos pretendem surpreender o público com suas respectivas canções autorais.



Há doze anos em atividade, a banda de Thrash Metal paranaense Embrio, marcará presença no segundo dia de fest. O grupo possui diversos trabalhos lançados, as demos “Earth in Flames” (2006), “We Made” e “Morbid Creation” (2007). Os álbuns “Prophets of Doom” (2008), “Corporation Is a Cancer” (2010), “Testify” (2012), “Revolt Against the System” (2013), “Karmadoom” (2017), além da compilação em comemoração aos dez anos de banda em 2015, intitulada “Déjà Vu”.



A paulistana Fire Strike trará todo vigor do Heavy Metal tradicional ao SC Metal Fest. Em atividade há treze anos e com forte influência oitentista, os músicos possuem duas demos, “Our Life Is the Heavy Metal” (2008) e “Fire Strike” (2009), em 2013 lançaram seu primeiro Ep “Lion and Tiger”. Além disso, em 2013 e 2014, lançaram respectivamente os splits “Panzer Fest” 2 e “Metal das Ruas Vol. II”, seguido pelo primeiro álbum “Slaves of Fate” (2017).



Reconhecida no cenário musical, a banda de Thrash Metal Slasher, originário de Itapira – SP, traz em suas letras temáticas sociais e políticas. Desde de 2008 nos palcos, possuem três trabalhos lançados, o Ep “Broken Faith” (2009) e os full-lengths Pray for the Dead (2011) e Katharsis (2014).



A última banda confirmada no domingo já é conhecida na região por sua sonoridade peculiar e letras características remetendo a cultura irlandesa e suas tradições alcoólicas. Se você pensou, a Captain Cornelius (os marujos e piratas bebuns riosulenses com histórias do alto mar e conselhos sobre a vida), a sua resposta foi correta. Então se apronte, traga seu chifre (opa, sua bebida), suas danças típicas e simbólicas e encontrem os bêbados de todo o estado lá em Otacílio Costa. 



segunda-feira, 13 de novembro de 2017

SC Metal Fest: Nasce um Novo Monstro dos Fests (Parte 1)

O município de Otacílio Costa reconhecido pelo consagrado Otacílio Rock Festival será palco de mais um grande festival. A primeira edição do SC Metal Fest ocorrerá nos dias 18 e 19 de novembro no Parque Cambará, e contará com 20 bandas. A organização ficou por conta de Nani Poluceno e Cleberson Oliveira, os quais recentemente cederam uma entrevista para Urussanga Rock Music.



No sábado a banda otaciliense Legado Frontal abrirá o festival com seu Metalcore. Há sete anos na estrada os músicos lançaram em 2015 seu primeiro trabalho, o EP intitulado “A Guerra Não tem Fim”.



Atho, prata da casa, será a segunda atração do cast. A banda de Hard e Havy Metal foi formada a partir de remanescentes das bandas Angels Guardian e da Dr Fantasy e atualmente possui diversas músicas gravadas.



Atlantis, a banda de Heavy Metal proveniente de Jaraguá do Sul, será a terceira atração. No cenário musical desde 2013 os músicos já possuem dois EPs gravados, “Summoning the Witch” (2014) e “Hotter Than A Burning Church” (2015).



Os tubaronenses da Alkanza também marcarão presença do fest com seu Thrash Metal típico. Caracterizado pelas críticas sociais, os músicos lançaram em 2014 o EP “Destroyed The System”, seguido pelo CD “Colonizado Pelo Sistema” (2015) e seu trabalho atual “O Céu da Boca do Inferno”.



A AbomiNação, banda lageana de Crossover e Grindcore, será a quinta atração a subir aos palcos. Em 2015 os músicos lançaram seu primeiro trabalho autoral, o EP “Ódio”, que conta com oito músicas.



Direto de São Bento do Sul a banda de Thrash Metal, Violent Curse, está há seis anos na atividade. Os músicos lançaram seu primeiro trabalho, uma Demo, em 2014. Seguido do EP “Total Extermínio” de 2016.



Direto da capital paulista, a Skinlepsy chega aos palcos com um Brutal Thrash Metal. Com toda agressividade caraterística, os músicos possuem a demo “Reign of Chaos” (2003), e os álbuns “Condemning The Empty Souls” (2014) e “Dissolved” (2017).



 Uma das bandas mais expoentes de SC se apresentará no SC Metal Fest, a Battalion carrega mais de 12 anos de estrada, possui influências de Grave Digger, Iron Angel, Pile Driver e outros clássicos além de trazerem ao festival seu respectivo Heavy Metal clássico, o que já proporcionou aos músicos lançarem, uma demo “Battalion”, três coletâneas “Underground Collection Vol.I e Vol II e Maximus Metallus, o renomado full length “Empire Of Dead” e o Ep “Tyrant Of Evil”.



O fenômeno do Heavy Metal paulistano Screams Of Hate retorna ao Sul do Brasil. E os músicos influenciados pelo HC e Metal vem divulgar o seu último álbum lançado em 2016 “Neorganic”, trabalho este que contém onze faixas, “Introorganic”, “Evil”, “Depression”, “Concept”, “Insane”, “Remorse”, a homônima “Neorganic”, “Follow”, “Spilling Hate”, “Your Soul Will Pay” e “Revenge”. O grupo é um dos headliners e incendiará o palco da Fazenda Cambará.



A Crucifixion é uma das maiores bandas brasileiras de Death Metal e os gaúchos originários de Rio Grande - RS trarão a heresia e destruição através de riffs céleres, rápidos e agressivos com seus mais de 21 anos. A banda possui sete trabalhos, entre eles demos, EPs, lives, splits e o caótico álbum “Destroying The Fucking Disciples Of Christ”. Em 2015 fizeram uma turnê europeia divulgando o mesmo.



Formada em 2010 a banda Black/Death Metal Revogar exibirá a crueza e rispidez de seu blasfemo instrumental. O quarteto já abriu para bandas renomadas como Marduk, Malevolent Creation, Krisiun, Vital Remains entre outros grupos. Uma das peculiaridades do grupo é o fato de cantarem a maioria de suas músicas em português e possuírem os seguintes materiais, “Vale dos Suicidas”, “Behind The Throne Of God” e “Astral Resosution Of The Inner Conflicts”.



Com 12 anos de surgimento, a “Soul Torment” advinda de Campo Bom – RS exibem um Thrash Metal com referências musicais de Accept, Motorhead, Exodus, Slayer, Black Sabbath entre outros nomes. Atualmente a banda está no desenvolvimento de músicas autorais e modificou sua formação, ingressando a vocalista Deise Wolff.



O encerramento do sábado ficará por conta da Lacrima Mortis de Blumenau. A horda de Death/Doom Metal formada em 2016 acabara de divulgar seu primeiro material, a demo “Optare Mortem”, a qual agrega três faixas, “Instrospectum”, “... Of Desolation” e “Optare Mortem”.  




domingo, 5 de novembro de 2017

Dinossauro: 09 anos do disco "Á Galope"

Desde 2013 fora dos palcos, a Dinossauro sempre levou centenas de fãs às apresentações que faziam. O quarteto Luiz Roque, Alison Ronsani, Beto Roque e Lucas Ronsani estabilizou a formação do grupo que já contou com o baixista Marcos Keller. Shows ao lado de Cachorro Grande, Cartolas e Identidade personificaram a trajetória profissional do grupo criciumense.



O EP “Á Galope” lançado em 2008 traz sete músicas incluindo, a bônus “Sóbria Melodia” e dois vídeos sendo um da mesma e também da canção “I’ve Tried To Hear It”. Dos mais de sete anos de banda, que começara em 2016, a Urussanga Rock Music foi um veículo midiático que sempre divulgou os respectivos trabalhos dos dinossauros criciumenses. E através disso, fizemos uma homenagem ao resenhar, faixa a faixa, o disco que marcou o indie criciumense:

A rápida “Sem Anos de Perdão” segue um instrumental constante perambulando caminhos britânicos da sonoridade. Em sua canção expressa-se uma inconformidade relacionada a dúvidas e questionamentos cotidianos sobre a vida (o fato de ela ser dura para alguns).

Uma das melhores na minha opinião é a queridinha “Queen Bee”. O instrumental possui um solo frenético e alternado com uma atmosfera diferente da primeira faixa.  A composição é marcada por traços de um relacionamento amoroso e suas respectivas conturbações além das indagações do sujeito a respeito da apatia mundial.

Estilo remetido ao clássico Rock n Roll, “Criaturas” adentra numa mescla musical com o precioso Indie. A sonoridade exposta de maneira mais rápida ganha uma peculiaridade a mais na canção. A mesma caminha para um lado romântico distópico da vida com o qual exibe-se em forma de inconfidências, mentiras e enganações.

Cadenciada em grande parte, a homônima “Á Galope” possui um refrão célere e intenso. O enredo dela busca enfatizar o trabalho e a vida de uma pessoa que não aguenta mais a jornada laboral fatigante, a hipocrisia da sociedade e acha uma maneira para ludibriar esses tais obstáculos como “trocar aquele disco que você já ouviu, milhões de vezes”. Isso evidencia a rotina de muitas pessoas no meio musical underground.

Com 01:49 min, a única instrumental “6:42” tem uma sonoridade incomum devido a sólida alternância de riffs.

Outra faixa destaque nos shows “Au-Uau” marca um ritmo dançante, com solos distintos e uma vasta musicalidade abrangendo vertentes diferentes. A sua letra é caracterizada por buscas frequentes de ideias que deram erradas no passado, contudo estão a se desenvolver novamente no futuro.

O hit do grupo, a bônus “Sóbria Melodia” sempre foi uma das mais pedidas do público. Com um instrumental lento, técnico e alternado, a música personifica a qualidade musical da banda. A metáfora da melodia com a vida sobressalta com uma bela história de amor baseada em nostalgias, emoções e desprendimento de opiniões de terceiros.


O disco foi gravado no Estúdio TNS por Lucas Storer, mixado por Adair Daufembach, com fotografia por Alice Linck e arte por Eloisa Honorato.

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Morcrof: Banda Concede Entrevista ao Site Rumors Mag

Matéria cedida por Cristiano Borges da Cangaço Rock Comunicações



Paullus Moura, baixista da banda Morcrof concedeu uma entrevista exclusiva ao renomado site “Rumors Mag”. Durante o bate papo, Paullus fala sobre as influências da banda, inspirações, dificuldades, lançamentos e muito mais. Confira a entrevista completa:

Lembrando que quem tiver interesse em adquirir o material físico, basta entrar em contato com a banda por meio do Facebook da banda;  distribuidoras interessadas em trocas contatem a Erinnys Productions - www.facebook.com/erinnysprod/.


Links relacionados:



Fonte: Cangaço Rock Comunicações

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Os Vermelhos: Céu (2017)

O quarteto araranguaense de rock alternativo “Os Vermelhos” acabaram de lançar o primeiro videoclipe do grupo, intitulado “Céu”.


A canção exibe de forma nostálgica um indie rock com características de um instrumental leve, cadenciado, alternado e compassado. A letra casa muito bem com a atmosfera visual do clipe que personifica uma sinestesia de momentos únicos e de reflexões acerca do existencialismo baseado nas rotinas simples, porém intensa que desenvolvemos através de momentos ímpares da vida.

O modo vintage, retrô exposto na obra fora desenvolvido de maneira independente e por Matheus Antônio.

A banda é composta por:
Gabriel Freitas (Vocal/Guitarra)
Gabriel Carradore (Guitarra)
Fernando Vieira (Bateria)
Pietro Coelho (Baixo)

As plataformas virtuais estão abaixo:

Bull Control: a agenda encorpada é reflexo de um trabalho honesto e focado

Matéria cedida por Maykon Kjellin do O Subsolo




Ainda em divulgação do EP "Mundo Paralelo" lançado em maio deste ano e do videoclipe de mesmo nome lançado a menos de um mês, o Bull Control continua focado em levar sua música para o maior número de pessoas possível, sendo que a agenda do grupo é um reflexo de um trabalho honesto e focado. Mesmo sendo uma banda nova por ter sido formada em 2015, se engana quem julga por conta disso, pois essa formação atual do grupo é considerada a mais experiente até o momento, fazendo com que os quatros membros olhem para o mesmo horizonte e mesclem suas ideias de acordo com o futuro da banda.

Um reflexo da aceitação e do ótimo lançamento do "Mundo Paralelo" é as datas que vem aparecendo para o grupo cearense, que cada vez mais vai se consolidando no cenário local e adquirindo um novo publico que acompanha a banda. Sobre essa fase do Bull Control, o vocalista Rodrigo "Digão" comenta:

"Acho que o trabalho desde a conclusão do EP até o videoclipe da música (que dá título a esse trabalho) é fruto de muito esforço e dedicação de todos os envolvidos dentro e fora da banda. Já estamos com uma boa visibilidade do videoclipe e uma aceitação maior por parte de toda a galera. Como a gente mesmo conversa internamente, este videoclipe é o fim do ciclo do EP, que foi lançado a cinco meses atrás e o início de uma nova saga.

O ano de 2017 em si pra banda foi de um todo proveitoso. Participamos do Garage Sounds, Forcaos e outros eventos onde a galera chegou mesmo com vontade em todas as apresentações da gente. Resolvemos fechar o ano tocando em locais que ainda não tínhamos tocado (ficamos devendo ainda a toca Good Garden, ano que vem quem sabe) como as cidades de Limoeiro do Norte , Maracanaú e aqui em Fortaleza no Estúdio Nuclear, após essas apresentações vamos focar em mais novidades para quem nos acompanha."



ASSISTA AO VIDEOCLIPE DE "MUNDO PARALELO"




Links relacionados:
Groove Music: http://migre.me/wzEF6

Redes sociais:

Bull Control agradece os apoios:
Gambiarra Homestudio, Estúdio Esconderijo, Pea Muita Produções, Associação Cearense de Rock, Movimento Underground Fortaleza e a todos os amigos que os acompanham nessa jornada.


Fonte: MK Assessoria

domingo, 29 de outubro de 2017

Neurosis: Banda é Tema de Sessão de Yoga em São Paulo

Matéria Cedida por Erick Tedesco da Abraxas Produtora

Divulgação Neurosis

Evento no dia 28 de outubro é esquenta para o inédito show dos californianos em dezembro, no Carioca Club
Os ânimos exaltados pela proximidade do inédito show do Neurosis no Brasil, que acontece dia 8 de dezembro no Carioca Club (São Paulo), podem ser aliviados com uma sessão de yoga ao som de... Neurosis! O evento acontece neste sábado (28) a partir das 14h, com entrada gratuita e duas aulas (também gratuitas) ministradas pela professora Vanessa Joda, a primeira sessão às 14h30 e a segunda às 16h - no estúdio Yoga Para Todos (rua Doutor Candido Espinheira, 156 - Santa Cecília/SP). Haverá venda de ingresso físico para o show do Neurosis no dia!

Além das sessões de yoga ao som de Neurosis, o evento contará com show da banda Noala, de São Paulo, às 19h, que é influenciada pelos próprios californianos e também por Black Sabbath, King Crimson e até mesmo pelo minimalismo de Phillip Glass.

Autor de "Nós Somos a Tempestade", uma das obras mais completas sobre música independente escrita por um jornalista brasileiro, Luiz Mazetto estará no Yoga Para Todos para autografar - e vender - os dois volumes da publicação, contendo entrevistas com os principais nomes da cena, como Mastodon, Black Flag, Kylesa, Baroness, dentre outros, além é claro do próprio Neurosis.

A Abraxas, em parceria com a Xaninho Discos e a Alpha Ômega, trazem o Neurosis pela primeira vez ao Brasil e encerram uma espera de mais de 30 anos por esta banda que revolucionou a música pesada. Em três décadas, o Neurosis já produziu onze discos de estúdio e se apresentou nos principais palcos e festivais ao redor do mundo - cada álbum, cada música, cada show e cada experiência em estúdio impulsionando a banda um passo adiante no longo caminho da experimentação sônica e espiritual.

SERVIÇO
Sessões de yoga ao som de Neurosis e show da banda Noala
Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/706505176204832
Data: 28 de outubro de 2017
Horário: a partir das 14 horas
Local: Yoga para Todos
Endereço: rua Doutor Candido Espinheira, 156 - Santa Cecília/SP
Entrada gratuita
Realização: Abraxas e Yoga para Todos



Neurosis em São Paulo

8 de dezembro no Carioca Club (rua Cardeal Arco Verde, 2899 - Pinheiros/SP)


Abertura da casa: 18 horas

 18h30: Saturndust

19h30: Deaf Kids

20h30: Neurosis




1º lote antecipado promocional: R$ 100 - ESGOTADO

2º lote antecipado promocional: R$ 120 (até a véspera do show)

Na hora: R$ 140 meia / R$ 280 inteira.



Pontos de venda (a partir de 22 de junho)

Yoga Para Todos (rua Doutor Cândido Espinheira, 156 – Perdizes)

(11) 94314-7955

Volcom (rua Augusta, 2490 - apenas em dinheiro)

(11) 3082-0213

 Loja 255 na Galeria do Rock

(11) 3361-6951

 Ratus Skate Shop (rua Doná Elisa Fláquer, 286, Centro, em Santo André)

(11) 4990-5163



Fonte: Abraxas Produtora

Postagens mais antigas → Página inicial