sábado, 10 de fevereiro de 2018

Cena Mineira: A Fúria do Underground

Nessa semana concretizamos mais uma parceria, dessa vez com o vocalista e baixista da banda Cracked Skull, Clênio Skull. O músico é colunista da mídia independente cultural Horizonte Paralelo e frequentemente estará divulgando seus textos aqui na Urussanga Rock Music. Confiram abaixo o texto escrito por ele:



Sem serem idealistas, os produtores de eventos e programas de entrevista estão fazendo acontecer. Eles não estão esperando a data ideal, o momento econômico ideal, a aceitação ideal… e estão fazendo acontecer. Sem grandes empresas por trás, sem grande mídia por trás, sem grandes selos por trás.

Nós, da banda Cracked Skull, estivemos no programa Papo Pesado, na cidade de Divinópolis/MG, no dia 20 de Janeiro, para uma entrevista, onde foi falado sobre a musicalidade da banda, sobre as ideias das letras, sobre a crítica ao conservadorismo, sobre a construção do álbum e sobre cervejas artesanal. Matheus Mihavecz e Kenderson Tadeu, fazem uma produção muito profissional e sempre focam as bandas independentes, underground e cervejas de verdade.

No dia 26 de Janeiro, a banda Cracked Skull se deslocou até a capital mineira, pra compor o cast do Circuito Panela Lisérgica, idealizado por Pedro Cataldo, que faz na raça, pouca grana e muita vontade, eventos que reúnem vários estilos de bandas autorais. O evento foi realizado na casa de shows Saramandaia, na avenida do contorno, Sta Efigênia. Local próximo à estação de metrô, de vários pontos de ônibus e muito bem localizada.

O cast contou com as bandas: Volac, Last Conscious, Scalped e Cracked Skull. O evento foi uma mistura de vários estilos do gênero Metal. Volac mandou um Black Metal direto, com timbres de guitarras ligadas no distortion no talo, vocal estilo black metal finlandês e bateria na metranca.

Cracked Skull mandou um Death/Thrash cadenciado, com vários arranjos na guitarra, bateria em contra tempos, hora rápida, hora em levadas compassadas e rica em arranjos nos pratos. O baixo é na palhetada, no ritmo dos quiques dos bumbos. Vocal gutural, com timbre cavernoso e furioso. O público agitava nos compassos cadenciados de forma insana. A banda está na estrada divulgando o disco Social Disruption, disco que clama a ruptura social, que trata do materialismo histórico, da dialética, da tragédia humana resultante entre as relações de força, entre dominados e dominantes.

Scalped, mandou um Death brutal, bateria acelerada, em alto volume, com um timbre de caixa impecável, fez a galera bater cabeça freneticamente. Com uma guitarra falando alto, em rifes matadores, solos bem harmônicos, o ritmo era sempre acelerado. O baixo da banda, desenha escalas agressivas e segura o grave de forma magistral. O vocal é impressionante, muitas variações de gutural, com sons que saem das entranhas e expressa bem a fúria do Scalped. A banda está divulgando o recém lançado Álbum Synchronicity of Autophagic Hedonism. O álbum é a expressão do caos político- social vivido no Brasil, a capa e contra capa expressam muito bem a sonoridade do disco divulgado no Panela Lisérgica.

Last Conscious me fez lembrar as levadas Thrash do antigo Entombed. A banda fechou a noite do Saramandaia e fez a galera já bêbada, cansada, com dores pelo corpo dos Mosh anteriores, agitar ainda mais, pois a levada da bateria é contagiante, incita o bate cabeça e rodas de mosh. O vocal é cavernoso, denso, no velho estilo Death Metal Old School. Guitarras com um timbre muito agressivos, seco e drive no talo, o baixo ainda fez uma boa cobertura com graves por trás dessas duas metralhadoras. A banda está divulgando seu EP Damn thoughts de 2017.

A cena vive, ferve, e a noite está sendo pequena nesses eventos independentes. Muitos amigos se encontram ali nos eventos underground, pra curtir, beber e dar aquela relaxada. É uma luta constante pra resistir a todas as dificuldades que a música independente underground vive. O final de noite é uma mistura de realização, de dever cumprido, com embriaguez, felicidade e longos papos de novas e velhas amizades que se encontram pra fazer ou curtir música sincera.

Clênio Skull- vocalista e baixista da banda Cracked Skull.

Matéria publicada no site independente horizonte paralelo.



← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário